Biografia – Espírito Ismael

Em 22 de abril de 1500, navegadores portugueses aportam em terras brasileiras, obedecendo orientações precisas de como chegar às “novas terras’.

Brasil Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, de Humberto de Campos, através da psicografia de Francisco Cândido Xavier, traz em belo texto, a história espiritual do Brasil.

Ismael, o mesmo filho de Abraão com a escrava Agar, é considerado o Anjo do Brasil,  Benfeitor Espiritual, trabalhador das hostes de Jesus, que a pedido do próprio Cristo, encampou a tarefa da transferência da Árvore do Evangelho, da Palestina, para o Brasil.

Neste vídeo, Carlos Roberto Campetti, Diretor da FEB e da FEBTv,  Coordenador Nacional da Área de Estudo do Espiritismo, discorre sobre a biografia do Espírito Ismael.

Canuto Abreu nascia há 123 anos em 19 de Janeiro 1892

Neste 19 de janeiro de 2015, comemoramos os 123 anos de nascimento de um dos maiores historiadores espíritas de todos os tempos, Silvino Canuto Abreu.

Médico, farmacêutico, advogado, pesquisador, escritor e filósofo, Dr.Canuto Abreu foi o orador oficial no dia 18 de abril de 1957 quando das comemorações do Centenária do Espiritismo, no ginásio do Pacaembu, em São Paulo. Escreveu livros memoráveis como a biografia de Bezerra de Menezes, traduziu em 1957 e publicou em comemoração aos 100 anos da Doutrina Espírita, o Livro dos Espíritos em bi-lingue (francês e português)e O Evangelho Por Fora. Escreveu vários artigos nos anos 50 no jornal Unificação, da USE, que mais tarde foram transformado no excelente livro O LIVRO DOS ESPÍRITOS E SUA TRADIÇÃO HISTÓRICA E LENDÁRIA onde dispomos da gravação completa que em breve, será disponibilizadas em CD para o público no Museu Espírita de S. Paulo. Ouça 5 minutos deste arquivo histórico narrado pelo próprio Dr. Canuto Abreu.

Publicação: Rádio Emmanuel (https://soundcloud.com/radioemmanuel)

Que 2015 seja pleno de Esperança, Paz e LUz!

Ano Novo! Vida Nova!

O refrão popular tantas vezes repetido com toque de novidade e esperança leva-nos a recordar a página magistral de autoria de Casimiro Cunha, recebida por via mediúnica através da psicografia incomparável de Francisco Cândido Xavier.

CARTA DE ANO BOM 

 

      (Casimiro Cunha)

                                            Entre um ano que se vai

                                            E outro que se inicia,

                                            Há sempre nova esperança,

                                            Promessas de Novo Dia…

 

                                            Considera, meu amigo,

                                            Nesse pequeno intervalo,

                                            Todo o tempo que perdeste

                                            Sem saber aproveitá-lo.

 

                                            Se o ano que se passou

                                            Foi de amargura sombria,

                                            Nosso Pai Nunca está pobre

                                            Do pão de luz da alegria.

                                           Pensa que o céu não esquece

                                           A mais ínfima criatura,

                                           E espera resignado

                                           O teu quinhão de ventura.

                                           Considera, sobretudo

                                           Que precisas, doravante,

                                           Encher de luz todo o tempo

                                           Da bênção de cada instante.

 

                                           Sê na oficina do mundo

                                           O mais perfeito aprendiz,

                                           Pois somente no trabalho

                                           Teu ano será feliz.

                                           Não esperes recompensas

                                           Dos bens da vida terrestre,

                                           Mas, volve toda a esperança

                                           À paz do Divino Mestre.

 

                                           Nas lutas, nunca te esqueças

                                           Deste conceito profundo:

                                           O reino da luz de Cristo

                                           Não reside neste mundo.

 

                                           Não olhes faltas alheias,

                                           Não julgues o teu irmão,

                                           Vive apenas no trabalho

                                           De tua renovação.

 

                                           Quem se esforça de verdade

                                           Sabe a prática do bem,

                                           Conhece os próprios deveres

                                           Sem censurar a ninguém.

                                           Ano Novo!... Pede ao Céu

                                           Que te proteja o trabalho,

                                           Que te conceda na fé

                                           O mais sublime agasalho.

                                           Ano Bom!… Deus te abençoe

                                           No esforço que te conduz

                                           Das sombras tristes da Terra

                                           Para as bênçãos de Jesus.

                Do livro Cartas do Evangelho, de Casimiro Cunha, por Francisco Cândido Xavier – Ed. Lake-SP.

O Natal do Semeador

O Natal leva a reflexões sobre a grandeza de Jesus, o Governador Espiritual do Orbe. A Parábola do Semeador traz o plano estratégico do Cristo para com a rebeldia da humanidade terrestre. Semear a boa semente, seja qual seja o tipo de terreno – ou estágio evolutivo do Espírito Imortal. A sequência do despertar para a Luz é uma probabilidade percentual: 30%, 60%, 100%. As transformações são lentas, gradativas. A Divina Misericórdia recebe com benevolência cada qual em seu estágio: um vislumbre do perene vir-a-ser.

A Noite Silenciosa e Santa está presente na memória espiritual dos exilados que partilharam e partilham da evolução da humanidade terrena. Pouco importa se vem de ritos pagãos ou de imposições eclasiásticas. É importante ter olhos para ver o seu significado: Canto de esperança dos corações degredados/ Memória incorruptível de uma sublime aliança/Retrato vigoroso da Promessa Serena/Que a todos reúne num átimo de Esperança:/Paz ante os tormentos/Luz na escuridão.

Palestra realizada por Elzi Nascimento e Elzita Melo Quinta, no Centro Espírita Allan Kardec de Goiânia, em 16/12/2014.

Dr Bezerra de Menezes: o médico dos pobres

1461538_1484992305058357_996031704_n

Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti, nasceu em Riacho do Sangue,  – CE  – atual Jaguaretama , em 29 de agosto de 1831  e veio a falecer  no Rio de Janeiro, RJ, em 11 de abril de 1900.

Descendente de antiga família de fazendeiros de criação, ligada à política e ao militarismo na Província do Ceará, era filho de Antônio Bezerra de Menezes (tenente-coronel da Guarda Nacional) e de Fabiana de Jesus Maria Bezerra.

 Ingressou na escola pública da Vila do Frade, adjacente  a Riacho do Sangue . Aprendeu,  em  dez meses,  os princípios da educação elementar.

Em 1842,  a família mudou-se para a antiga vila de Maioridade (serra do Martins), no Rio Grande do Norte, onde o jovem, então com onze anos de idade, foi matriculado na aula pública de latim. Em dois anos já substituía o professor em classe, em seus impedimentos.

Em 1846,  foi matriculado no Liceu do Ceará, onde concluiu os estudos preparatórios.

Em 1851,  mudou-se para o Rio de Janeiro e  iniciou os estudos de Medicina na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro.

Em 1852,  ingressou como praticante interno (“residente”) no hospital da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro.

Pagava seus estudos, dando aulas particulares de filosofia e matemática.

Em 1856, com a defesa da tese: “Diagnóstico do cancro”. graduou-se em medicina e foi convidado pelo Cirurgião-mor do Exército brasileiro, Dr Manuel Feliciano Pereira Carvalho, seu antigo professor, para ser seu assistente, passando a trabalhar como médico militar.

bezerra_de_menezes_-_imagem_da_net_

Bezerra de Menezes, foi médico, militar, deputado geral pela Província do Rio de Janeiro no período de 1877 a 1885, escritor, jornalista, político, filantropo e expoente da Doutrina Espírita. Pelo seu trabalho em prol da unificação do Movimento Espírita no Brasil, ficou conhecido também como O Kardec Brasileiro.

Sabe-se que era fluente em pelo menos três línguas além do português: latim, espanhol e francês.

 O Médico dos Pobres, deixou em sua biografia inúmeros e exemplares casos de abnegação, altruísmo e benevolência no exercício da medicina desprendida e solidária.

Tornou-se espírita  depois  da leitura de O Livro dos Espíritos, em 1875. Após estudo aprofundado da obra de Allan Kardec, aos 55 anos de idade, fez pronunciamento público para um  número estimado entre mil e quinhentas e duas mil pessoas,  no salão de conferências da Guarda Velha, no Rio de Janeiro,  justificando  a sua opção em abraçar o Espiritismo. Isto aconteceu  no dia 16 de agosto de 1886.

Na seção intitulada “Spiritismo – Estudos Philosophicos” – Bezerra  passou escrever no maior  jornal do Brasil: O Paiz.

Na década de 1880 o incipiente movimento espírita na capital (e no país) estava marcado pela dispersão de seus adeptos e das entidades em que se reuniam.

Sua atuação na Federação Espírita Brasileira ficou marcada pelo seu perfil altamente conciliador. Em 1889 é eleito presidente da Federação Espírita Brasileira.

De 1890 a 1891 foi vice-presidente da FEB na gestão de Francisco de Menezes Dias da Cruz, época em que traduziu o livro “Obras Póstumas” de Allan Kardec, publicado em 1892.

Aprofundando-se as discórdias na instituição, foi convidado em 1895 a reassumir a presidência da FEB , função que exerceu até à data de seu falecimento. Nesta gestão fundou a primeira livraria espírita no país e   vinculou a FEB  ao Grupo Ismael e à Assistência aos Necessitados.

Acometido por um acidente vascular cerebral, desencarnou  na manhã de 11 de abril de 1900. Pobres e ricos acompanharam o féretro e o jornal O Paiz dedicou-lhe longo necrológio, chamando-o de “eminente brasileiro.

basil

O  aspecto missionário da vida de Bezerra de Menezes  fica patente na obra Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, de Chico Xavier, atribuído ao espírito de Humberto de Campo, que registra:  “Descerás às lutas terrestres com o objetivo de concentrar as nossas energias no país do Cruzeiro, dirigindo-as para o alvo sagrado dos nossos esforços. Arregimentarás todos os elementos dispersos, com as dedicações do teu espírito, a fim de que possamos criar o nosso núcleo de atividades espirituais, dentro dos elevados propósitos de reforma e regeneração.”

Segundo revelações espirituais, através da mediunidade ímpar de Chico Xavier, o Kardec Brasileiro continua seu trabalho missionário com o Movimento Espírita, mesmo após a sua desencarnação, sob a égide de Ismael, o”anjo protetor do Brasil” e sob o amparo de Nossa Senhora, mãe de Jesus, Espírito ao qual sempre foi muito ligado.

A vida de Bezerra de Menezes foi transposta para o cinema, na película Bezerra de Menezes – O Diário de Um Espírito, com direção de Glauber Santos Paiva Filho e Joel Pimentel.

BZ TT

Para saber mais:

ABREU, Canuto. Bezerra de Menezes: subsídios para a História do Espiritismo no Brasil até o ano de 1895. São Paulo: FEESP, s.d.. 96p. ISBN 85-7366-086-4

ACQUARONE, Francisco. Bezerra de Menezes: o médico dos pobres (3a. ed.). São Paulo: Editora Aliança, 1979. 152p. ISBN 85-7008-001-8

ARRIBAS, Célia da Graça. Afinal, espiritismo é religião? A doutrina espírita na formação da diversidade religiosa brasileira. Universidade de São Paulo, 2008.

CURY, Aziz. Legado de Bezerra de Menezes São Paulo: Elevação, 2008. ISBN 978-85-7513-091-9

GAMA, Ramiro. Lindos casos de Bezerra de Menezes (2a. ed.). Rio de Janeiro: Editora Espiritualista, 1964. 182p. il.

GODOY, Paulo Alves; LUCENA, Antônio. Personagens do Espiritismo (2ª ed.). São Paulo: Edições FEESP, 1990.

KLEIN FILHO, Luciano. Bezerra de Menezes, fatos e documentos. Niterói (RJ): Lachâtre, 2000. 224p. ISBN 85-7477-024-8

MENEZES, Bezerra de. Uma carta de Bezerra de Menezes (4a. ed.). Rio de Janeiro: FEB, 1984. 100p.

MENEZES, Bezerra de. A loucura sob novo prisma: estudo psíquico-fisiológico (2a. ed.). São Paulo: FEESP, 1982. 166p.

MENEZES, Adolfo Bezerra de. Os carneiros de Panúrgio: romance filosófico-político (4a. ed.). São Paulo: FEESP, 1988. 188p.

SANTOS, Dalmo Duque dos. Nova História do Espiritismo. Rio de Janeiro: Corifeu, 2007. ISBN 978-85-99287-70-5

SANTOS, Prezalindo Levy. Pantheon Fluminense, Esboços Biográficos. Rio de Janeiro: 1880.

SOARES, Sylvio Brito. Vida e Obra de Bezerra de Menezes. Rio de Janeiro: FEB, 1963. 152p. il.

SOUSA, Juvanir Borges de (coord.). Bezerra de Menezes, Ontem e Hoje. Rio de Janeiro: Federação Espírita Brasileira, 2000. 236p. ISBN 85-7328-226-6

STUDART, Guilherme (barão). Dicionário Bio-Bibliográfico Cearense. Fortaleza: 1910.

VELHO SOBRINHO, J. F.. Dicionário Bio-Bibliográfico Brasileiro (v. II). Rio de Janeiro: 1940. p. 335-336.

WANTUIL, Zêus. Grandes Espíritas do Brasil. Rio de Janeiro: FEB, 1990.

XAVIER, Francisco Cândido. Bezerra, Chico e Você (4a. ed.). São Bernardo do Campo (SP): Grupo Espírita Emmanuel, 1976. 

FEB – Campanha 150 de O Evangelho Segundo o Espiritismo

cartaz_evangelho

FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA
 CIRCULAR CFN-FEB nº 15/2014 14 de julho de 2014

Ref.: Campanha 150 anos de O Evangelho Segundo o Espiritismo

Estimados companheiros,

Neste ano estamos comemorando os 150 anos de lançamento de O evangelho segundo o espiritismo. Importante obra da Codificação que contém toda a essência do ensino moral de Jesus e serve de consolo, esclarecimento e orientação para o público em geral. Especialmente para esta ocasião a Federação Espírita Brasileira preparou uma série de ações. Iniciando com o 4º Congresso Espírita Brasileiro, passando por campanhas pontuais nas redes sociais, nas mídias espíritas e leigas; vários lançamentos da FEB Editora e a recente edição de julho da revista Reformador, com ênfase à temática. Será também o tema no estande da FEB na 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, a realizar-se nos dias 22 a 31 de agosto de 2014. A Diretoria Executiva da FEB, reunida no dia 12 de julho pp., aprovou providências para a agilização dessa importante Campanha, com informações que serão disponibilizadas nas mídias da FEB, principalmente em seu Portal.

O cartaz da Campanha que segue anexo se encontra disponível para download no Portal da FEB. Link: http://www.febnet.org.br/blog/geral/conheca-a-feb/participe-da-campanha-dos-150-anos-de-o-evangelho-segundo-o-espiritismo/

Baixem o cartaz e compartilhem!

Que tal a família espírita brasileira contribuir na divulgação desta Campanha?

Com fraternal abraço,

Antonio Cesar Perri de Carvalho

Presidente da Federação Espírita Brasileira

SGAN – Quadra 603 – Conjunto. F – Brasília – DF – 70830-030
Tel.: (55.61) 2101-6150 – Fax: (55.61) 3322-0523 – http://www.febnet.org.br – E-mail: cfn@febnet.org.br