Mediunidade é como flores entre espinhos

Encontros com Chico Xavier

 

 RS BR 2

INCOMPREENSÕES NA MEDIUNIDADE

            Relacionamos aqui a experiência de uma médium, conhecida nossa, senhora muito correta, semi-analfabeta, mas portadora de brilhantes faculdades mediúnicas, desenvolvidas em clima de lutas íntimas, porquanto, durante quase sete anos, viveu debaixo de obsessão, sofrendo graves distúrbios no seu relacionamento familiar.

            Enfrentando tais dificuldades, procurou, em certa oportunidade, os conselhos do Chico, o qual lhe recomendou fixar-se em determinada equipe de reconhecidas atividades doutrinárias.

            Com clarividência, psicofonia e psicografia já bastante desenvolvidas, dedicou-se de corpo e alma ao trabalho junto àquela equipe.

            Devotando-se com desvelado amor aos sofredores desencarnados, possuía, igualmente, muita facilidade para comunicar-se com os mentores espirituais. Tal facilidade, no entanto, era colocada em suspeita por alguns companheiros de sua equipe mediúnica.

            Sofrendo com essa atitude de incompreensão, pensava em abandonar o trabalho, embora o imenso amor que consagrava ao mesmo. Como havia sido o Chico quem aconselhara a participar daquela equipe, voltou a procurá-lo, expondo-lhe suas dificuldades.

            — Olhe, não pense em parar – recomendou-lhe o médium. É lá mesmo o seu lugar, se você quiser continuar com o equilíbrio que conseguiu.

            — Mas eles não me entendem! E eu mal sei ler! Eles são doutores, professores, são bons oradores!…

            — E daí? – retrucou-lhe, o médium, contrariado, cortando-lhe a palavra. – Eles são letrados, mas tem muito que aprender com você e com sua mediunidade! O principal você possui: é a sua honestidade!

            O Chico voltou-se, paternal, para a atribulada médium, envolvendo-a com sua transbordante fé, arrematou, alterando um tanto o seu tom de voz:

            — Continue, minha filha… E não se esqueça: É NO MEIO DE ESPINHOS QUE MUITAS FLORES NASCEM…

                                                           ***

“Admiramos profundamente todos os companheiros de mediunidade que respeitam as funções em que foram situados pelas exigências da construção Espírita-Cristã.” (Anuário Espírita 1967 – 89)

Do livro “Encontros com Chico Xavier” – Cezar Carneiro de Souza

Capítulo “ INCOMPREENSÕES NA MEDIUNIDADE ” 

Editora ELCEAA: Editora e Livraria Centro Espírita Aurélio Agostinho

Livro: http://www.candeia.com/produto.asp?section=1&id=4276

Anúncios

2 comentários sobre “Mediunidade é como flores entre espinhos

  1. Glaciná Neves 26 de fevereiro de 2014 / 19:15

    Precisamos muito ler e reler páginas como essas para nos reconfortar e aquietar nossos corações…Graças a Deus!

    • luzesdoconsolador 26 de fevereiro de 2014 / 20:25

      É. Realmente, necessidade para todos nós. Obrigada pelos comentários.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s